Skip to main content

O que a Copa do Mundo ensina sobre o eSocial

10 julho 2018
Rodrigo Ferreira

Da mesma forma que federações, comissões técnicas e atletas das seleções participantes se preparam durante anos para disputar um mundial de futebol (cada ciclo representa 4 anos de trabalhos intensos, disciplina, dedicação, disputa de eliminatórias para obter a classificação, jogos preparatórios, etc.), o eSocial também exigiu das empresas, contabilidades e departamentos ligados a folha de pagamento nesses últimos meses, se não uma preparação tão longa como a das seleções, bastante planejamento, organização, trabalho em equipe e treinamentos para que seja possível efetuar uma correta implementação à partir deste mês de julho.

É possível fazermos algumas comparações sobre os processos e estágio de preparação das empresas para o eSocial com os fatos que levaram algumas seleções ao desempenho obtido na Copa.

1. Espanha


Se a seleção da Espanha fosse uma empresa se preparando para o eSocial, por exemplo, poderíamos dizer que a falha ocorreu no planejamento. Demitir o treinador Julen Lopetegui faltando 2 dias para a estreia na competição demonstração disso! O resultado não poderia ser diferente: eliminação ainda na fase de oitavas de final.

2. Argentina


A seleção da Argentina também deixou a desejar. Caiu nas oitavas, assim como a Espanha, após demonstrar fortes indícios de falta de organização ao longo do mundial. O maior exemplo disso está no fato dos principais líderes do elenco, Lionel Messi e Javier Mascherano, aparentemente terem escalado o time (ao invés do treinador Jorge Sampaoli) nos últimos dois jogos dos nossos hermanos na competição.

3. Alemanha


E qual a explicação para a queda precoce dos campeões da última edição do Mundial sendo que a Alemanha costuma ser apontada como exemplo de planejamento, organização, trabalho em equipe e treinamentos desde suas categorias de base? Simples! Da mesma forma que para uma correta implementação do eSocial as empresas precisam estar abertas a mudanças em suas rotinas de folha de pagamento, em alguns momentos mudanças também são necessárias no futebol. E esse foi o erro da Alemanha! Por fidelidade e, provavelmente, gratidão pelo histórico vencedor, o treinador “teimou” em não realizar algumas alterações em posições-chave da equipe. O resultado vocês já sabem: vexame histórico e queda na primeira fase.

4. Brasil


Você deve estar se perguntando… Mas e o Brasil!? Bom, a seleção brasileira nos ensinou que quando um planejamento é feito de forma errada, mesmo se “corrigido”, já pode ser tarde demais. Caso você não se recorde, o time nacional iniciou a preparação para esta Copa do Mundo com o treinador Dunga e, somente em junho de 2016 após uma série de insucessos na Copa América e nas Eliminatórias para o Mundial, o treinador Tite finalmente assumiu o selecionado canarinho, implementando um trabalho mais sólido em termos de organização, trabalho em equipe, bem como no que diz respeito a métodos de treinamentos e análise de desempenho. Provavelmente, tarde demais…

E se o eSocial fosse a Copa do Mundo? Sua empresa seria eliminada já na primeira fase ou ainda estaria na disputa pelo título?

Para te ajudar a obter essa resposta, recomendo alguns dos artigos recentes que publicamos lá no nosso Blog sobre o tema:

O que você precisa saber sobre o eSocial para preparar sua empresa

Vamos falar sobre eSocial?

Reforma Trabalhista x eSocial

Na próxima semana, mostrarei o que levou as 4 seleções semifinalistas (Bélgica, França, Croácia e Inglaterra) a atingirem seus objetivos (e até mesmo superarem!) e contarei qual a relação disso com o trabalho realizado pela nossa equipe na implementação do eSocial para centenas de empresas. 

Enquanto isso, fique à vontade para escrever aqui nos comentários caso tenha alguma dúvida sobre o tema ou relacionada aos textos acima.

Boa leitura!

Rodrigo Ferreira


Gerente de Atendimento e Marketing



Foto: Jonathan Campos/Gazeta do Povo